Curso: Elaboração e Gestão de Projetos Pessoais e Carreira Profissional

Indico este curso que tem a participação de nossa querida professora Telma. Você pode conferir os detalhes abaixo:

Como elaborar projetos pessoais e profissionais a partir do desenvolvimento das competências e habilidades visando a construção da autogestão, do planejamento e da criatividade para administrar tempo e conflitos.

professora-telmaCurso com 12 horas
DATAS PREVISTAS PARA A REALIZAÇAO DO CURSO:
Aos Sábados:
07/05/16 – 14/05/16 – 21/5/16 – 28/05/16
HORÁRIO: 9h00 às 12h00
CARGA HORÁRIA: 12 horas.
Vagas: 40
Certificado: Será fornecido certificado aos participantes que obtiverem 75% de frequência.

Para acessar a ementa do curso e como participar, clique aqui (abre em nova janela)

Conheça o perfil das coordenadoras do curso:

Cristiane   Batista   Oliveira – Mestre   em   Ciências   Contábeis   e   Atuariais   pela   Pontifícia Universidade  Católica  de  São  Paulo – PUC;  Especialista  em  Controladoria  de  Gestão  pela Fundação  Escola  de  Comercio  Alvares  Penteado – FECAP;  Especialista  em  Análises  Financeira de Empresas pela Saint Paul ducacional Escola de Negócios. Graduada em Ciências Contábeis pela   Faculdade   Integradas   Tibiriçá.   Certificada   em   Coaching   e   Personal   &   Professional Coaching;   Xtreme   Positive   Coaching   pela   Sociedade   Brasileira   de   Coaching   do   Brasil. Atualmente atua como Coach de  carreira para desenvolvimento de  competências individuais, negócios, liderança e relacionamentos pela empresa Lúminus    Gestão    de    Projetos Empresariais.

Maria  Telma  Oliveira  Marques – Mestre  em  Serviço  Social,  pela  Pontifícia  Universidade Católica  de  São  Paulo – PUC.    Graduada  em  Serviço  Social  pela  Universidade  Federal  do  Pará. Certificada  em  Coaching  e  Personal  &  Professional  Coaching;  Xtreme  Positive  Coaching  pela Sociedade   Brasileira   de   Coaching   do   Brasil.   Professora   universitária   de   programas   de graduação  e  pós  graduação  da  Universidade  Nove  de  Julho – Uninove  e  Universidade  Camilo Castelo Branco – UNICASTELO. Atua na condução de processos de Coaching e de Programa de Capacitação e Desenvolvimento de Competências para inserção no mercado de trabalho.

Recomendadíssimo.

Convite: Golpe Nunca Mais – Segundo Momento

Convidamos a todos/as para participar do Segundo Momento do encontro que ilustrou o cenário político atual que estamos vivenciando, teremos nesta segunda-feira (28) um segundo momento.

Compareça, divulgue e espalhe para os seus contatos.

CHAMADA GOLPE NUNCA MAIS 28-MARPalestrante:

professora-cidinhaMaria Aparecida da Silveira é graduada em Ciências Sociais e Mestra em Serviço Social.

Também atua como consultora em Projetos Sociais e professora universitária.

 

Localização:

Dia 28 de Março de 2016 às 19 horas. Subprefeitura de Itaquera.

Compartilhe

Evento: Golpe Nunca Mais

professora-cidinhaÉ com este pensamento que estamos nos unido em prol de elevar o debate acerca dos mais recentes acontecimentos envolvendo o cenário político brasileiro bem como analisar a realidade sobre aqueles que são os verdadeiros opressores contra a classe trabalhadora e seus meios midiáticos de controle populacional.

Uma pequena introdução para o evento que acontecerá no próximo dia 21 de Março na Subprefeitura de Itaquera, com a participação de nossa Professora Maria Aparecida da Silveira. Fiquem atentos.

Por: Ana Helena

professora-ana-helenaPodemos analisar a conjuntura da crise por diversos ângulos, mesmo achando que todos os caminhos vão dar no mesmo lugar. Aspectos econômicos, políticos e moral saltam aos olhos quando escutamos ao som das panelas “chega de corrupção”. Certo, tudo bem. Mas, hoje quero dar luz a um ângulo: o da branquitude. à luz da branquitude, os manifestos do dia 13, os panelaços e a violência com a “cor” vermelha me chama muita atenção e me preocupa demasiadamente pois podemos estar prestes a ver a branquitude brasileira mais uma vez reconstruindo seus desejos de nação. Ora, pensemos. A primeira república foi sedimentada por um projeto branqueador que marcou nossa construção histórica e social formadora de uma ilusão de identidade brasileira completamente cega as possibilidades raciais. Seguindo nessa trilha, durante o regime militar, a branquitude brasileira sossega seus medos no acalanto da fantasia da democracia racial que não deixa de ser um discurso reformulado do projeto branqueador da primeira República. E quem eram as pessoas que estavam por trás da construção desse discurso de uma nação? Certo, Agora vejamos. 91% das pessoas que participaram das manifestações do dia 13 são brancas. 73% não estão desempregadas e 40% recebem mais de 10 salários mínimos. A mim me parece evidente que, passados quase duas décadas de políticas de ação afirmativa que alteram e deslocam lugares sociais, a branquitude brasileira esperneia de volta seus privilégios e, se aproveitando de um discurso mobilizador e legítimo, que é o fim da corrrupção, tenta iniciar uma nova fase do seu projeto branqueador que normatiza a sociedade em um padrão de poder, branco, hetero e rico. Não dá mais né?
LUTEMOS!!! HOJE E SEMPRE!!!


Confira programação, chamada e localização abaixo:

CHAMADA GOLPE NUNCA MAIS

Banner

GOLPE NUNCA MAIS

Localização:

Dia 21 de Março de 2016 às 19 horas. Subprefeitura de Itaquera.

Compartilhe

Evento: Mulheres em Movimento

MULHERES EM MOVIMENTOBazar, arte, trocas, cultura, informações, convívio e união através de ciclos temáticos e itinerantes.

Um espaço que está sendo criado com o objetivo de trabalhar a Economia Solidária, adquirir conhecimentos e informações bem como para refletirmos sobre a nossa realidade, planejarmos um futuro melhor, através de Rodas de Conversa, Palestras, Manifestações culturais e convívio.

O tema deste 1º evento será “Violência contra a Mulher”.

Teremos um Sarau com Recitação de Poesia e Música no violão.

O Bazar terá artesanato, roupas, lingeries, chinelos customizados.

Faremos um pequeno café comunitário no final do evento.

Confira programação completa:

MULHERES EM MOVIMENTO FOLDER

Data: 13 de Dezembro de 2015

Local: Associação e Comunidade Nossa Senhora de Lurdes

Avenida Pires do Rio nº 3185 – Itaquera – São Paulo – SP

Compareça.

V Jornada Negra 2015 – Programação Completa

CHAMADA V JORNADA NEGRA - BDV Jornada Negra 2015

A interdisciplinaridade no Estudo das Relações de Gênero e Raça

Programação

10 de Novembro de 2015

08:00 – Abertura com as Coordenadoras:
Pedagogia – Rute Reis
Serviço Social – Leonice Lima

08:30 – O Balanço de uma Década: a Lei 10.639/2003 e alguns resultados
Deborah Monteiro – Professora da rede municipal e formadora em Educação Étnico-Racial
Patrício Araújo – doutor em Ciências Sociais pela PUC/SP e Pesquisador de Religiosidade afro-brasileira
Waldete Tristão – Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
Mediação: Profa. Rute Reis – coordenadora do curso de Pedagogia
Abertura do debate

Apresentação cultural

15:00 – 17:00
Apresentação do Filme: Foice a Face
Debate – Black Face e branquitude: Quem pode pintar o que?
Fernanda Lomba – Diretora do documentário Foice a Face
Ana Helena Passos – Professora do Curso de Serviço Social.

19:00 – Reabertura com as Coordenadoras
Letras – Márcia Schlemper
História – Candelária Volponi Moraes

19:30 – História e Literatura: Caminhos que se cruzam na literatura negra
Mário Augusto Medeiros da Silva – Sociólogo, professor da UNICAMP
Iana Souza – Psicóloga Social, Tutora presencial na UNIFESP
Mediação:
Profª. Ana Helena Passos – professora do curso de Serviço Social
Abertura do debate

11 de Novembro de 2015

08:00 – Abertura
Professor Maximino Gomes da Silva – Curso de Pedagogia
Rute Reis – Coordenadora do Curso de Pedagogia
Apresentação Cultural

08:30 – As relações e os afetos nos encontros de raça e gênero
Dulci Lima – Mestre em Educação, Arte e História da Cultura. Atua na intersecção entre as relações raciais e de gênero.
Ivani Oliveira – psicóloga membro da ABRASPO (Associação Brasileira de PsicologiaSocial), compõe o subnúcleo Psicologia e Relações Raciais do CRP-SP.
Mediação: Professora Simone Jorge – Curso de Serviço Social
Abertura do Debate

19:00 – Reabertura
Professora Simone Jorge – Curso de Serviço Social
Professor Maximino Gomes da Silva – Curso de Pedagogia
Apresentação Cultural

19:30 – O Negro na Literatura: do Centro à Margem
Professor Doutor Paulo César Carneiro Lopes

Maria Carolina de Jesus e sua importância para a Literatura Brasileira
Érica Aparecida Góis

Denúncia e Liberdade em Solano Trindade Professor Especialista Davi Fernandes
Abertura do Debate

Local

Auditório da Subprefeitura de Itaquera

Avenida Augusto Carlos Bauman n° 851 – Itaquera – São Paulo/SP.

Organização

Cursos de Serviço Social, História, Letras e Pedagogia.

Folder

V JORNADA NEGRA BD

O evento é aberto para todos os públicos e organizado pelos Cursos de Serviço Social, História, Letras e Pedagogia.

Emite certificado de Horas válido para composição de Atividades Complementares.

Supervisão de Estágio III: Resumo do Semestre

Primeiro Bimestre

06 – Fevereiro – 2015

Ementa: Reconhecimento das diversas demnadas sociais que se apresentam para o trabalho profissional do assistente social, identificando limites e possibilidades de resposta da mesma.

DN 1964 – Ditadura Militar

  • Até a entrada na faculdade vive confortável – alienação
  • Faculdade de Serviço Social – Univap – São José dos Campos

Livro: Mediação e Serviço Social

Reinaldo Nobre Pontes

Cortez Editora, 2009.

CNPq – Conselho Nacional de Pesquisa e Tecnologia.

Todas as Ong’s tem um estatuto social que deve ser consultado pelo estagiário. Sem o estatuto social o profissional não tem como elaborar o seu projeto de atuação nesta instituição.

Sem este estatuto, os registros nos órgãos de conselho não podem ser classificados como utilidade pública. O estatuto deve ter registro em cartório. O estatuto pode ser consultado nos órgãos como CMDCA, Comas, etc.

Em todas as secretarias municipais, espaço público, Assistência Social, Educação, há planos municipais e sem os quais o profissional não tem como elaborar o seu projeto de atuação, para elaborar um estudo aprofundado de ação.

Sem estes requisitos o AS não elabora o seu Plano de Trabalho; Projeto Profissional de Intervenção.

13 – Fevereiro – 2015

Objetivo da aula: construção do conhecimento a partir da identidade

  • Mediação;
  • Práxis.

Datas de entrega dos documentos de estágio.

Entrega do termo de convênio

10/04/2015 e 17/04/2015.

email da sala e individual – Termo de convênio – professora Raquela

CNPJ – final 0005-34

Apólice de Seguro – 4044

Prova: construção de um parecer social – estudo social – análise de caso.

Resolução 533 CFESS

Política de Estágio – PNE

Reinaldo Pontes – texto de mediação.

A mediação é parte integrante da práxis do AS.

Procurar cursos de leitura dinâmica – SESC, etc.

Somente faz acordo de cooperação quando a instituição não tenha estagiários da Unicastelo.

O plano de estágio muda a cada semestre.

Livros:

Avaliação e linguagem: relatórios, laudos e pareceres, Selma Marques Magalhães. Editora Veras.

Natureza da profissão: interventiva e investigativa.

Apresenta uma direção social, dimensão ético-política na defesa da classe trabalhadora e dos direitos, justiça e cidadania, presentes no artigo 5 da CF.

A dimensão humana não pode ser entendida apenas na contradição capital X trabalho, porém há mais demandas implícitas que devem ser levadas em consideração e, portanto, para o Serviço Social as contradições não são a única essência para o entendimento da análise de demanda.

Suplicy – Renda básica de cidadania – livro – procurar

Há diferenças entre técnicas profissionais e instrumentais de trabalho.

O trabalho em grupos é uma técnica profissional interventiva.

20 – Fevereiro – 2015

Fundamentos teóricos – campo/sujeito = idoso

Exemplo: senhora – violência = maus tratos – verbal

Técnico – atendimento individual – indivíduos e grupos

Observação.

Instrumentos subsidiam exercícios profissionais

  • Estatuto do idoso
  • Regras inseridas no projeto.

Na aula de hoje foi continuada as apresentações dos/as alunos/as.

O real e o ideal – autores demonstram que o profissional deve ser propositivo para enfrentar as diversas expressões da questão social.

Buriolla – no âmbito das políticas públicas toda ação é realizada dentro de um ambiente institucional e tem suas regras e regulamentos.

Autonomia relativa – como o conteúdo é trazido em tempo curto para atender as demandas.

Buriolla – Todos nós seremos supervisores de campo, porém nem todos tem habilidade para atuar no cotidiano e alguns não terão habilidades para algumas demandas.

Para próxima aula:

Trazer planilha controle CRESS

Nome do aluno:

Instituição:

Endereço da instituição:

Telefone da instituição:

Email institucional:

Supervisor de campo: CRESS:

27 – Fevereiro – 2015

Ideologia – fundamental na categoria defesa dos direitos.

  • Reprodução da ideologia burguesa do Estado tem por definição entender os pobres como bárbaros.

Legislação básica para Estágio

Lei 11.788/2000

Política Nacional Estágio ABEPSS

Resolução 533 – Regulamenta estágio supervisionado

Resolução 588 – delibera sobre o registro profissional

Resolução 493 – Condições éticas e técnicas do exercício profissional

Resolução 556 – Lacração de material técnico e material técnico

Resolução 557 – Emissão de pareceres, laudos e opiniões

Resolução 559 – Atuação como perito social ou assistente técnico

Política Nacional de Estágio Unicastelo.

Resolução 493 – Direitos do sujeito singular e coletivos – artigo 5 e 6 da Constituição Federal de 1988.

  • Defesa intransigente dos direitos para o AS.

Resolução 556 – Implica no sigilo documental da profissão, lacração de documentos sobre a vida das pessoas.

Resolução 557 – AS pode emitir laudos, pareceres; cotidiano do AS no que remete à especificidade da intervenção social.

Relatórios (vários tipos): instrumentalidade

  • todo instrumento face a face (VD, trabalho de grupo, comunidade) se transforma em material descritivo, sistematizado.

O relatório pode construir ou destruir o profissional bem como pode “destruir” a vida dos sujeitos envolvidos (usuários), por fragilidade ou insuficiência do profissional.

O relatório é descritivo nos fatos e encaminhamentos enquanto o parecer é descritivo e subjetivo pois emite uma opinião.

06 – Fevereiro – 2015

Mediação – pressupõe alguns conhecimentos

  • teoria social – base teórica metodológica;
  • projeto societário;
  • projeto profissional;
  • instrumental teórico/técnico/operativo.

Projeto profissional

  • direção social = ético-político.

Analisar e compreender essa direção assumida pela prática profissional, direcionando o usuário à defesa da justiça social, da cidadania e da democracia enquanto sujeito de direito, tem por característica o atendimento humanizado.

Dinâmica: romper com a racionalidade formal abstrata interagindo com o real/cotidiano/empiria.

20 – Março – 2015

Atividade em sala:

Movimento reflexão

Previdência social – através da equipe técnica é que defere ou indefere o acesso ao BPC?

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.138 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: